Cinco Linguagens do Amor – Gary Chapman

Este é um livro fabuloso que mudou a minha concepção sobre o amor e conseqüentemente sobre a relação amorosa. Dr. Gary Chapman é mestre em Antropologia pela Wake Forest University e em Educação Religiosa pelo Southwestern Baptist Theological Seminary, onde também se doutorou em Filosofia. O livro “Cinco linguagens do amor” é o seu livro de maior sucesso / Best Seller.

Ele lançou uma série baseada neste livro. Hoje tem :

Cinco Linguagens do amor para solteiros

Cinco Linguagens do amor das crianças

Cinco Linguagens do amor de Deus

Cinco Linguagens do amor dos adolescentes

Agora você está falando a minha linguagem.

A tese do Gary Chapman é que existem basicamente cinco idiomas do amor, cinco maneiras de expressar o amor. Cada pessoa tem um idioma principal (com excessões de algumas pessoas que são bilíngüe) e para se sentir amado, a outra pessoa deve amá-la no seu idioma. Exemplo: Roberto fala inglês e Juliana fala português; a Juliana terá que aprender inglês para comunicar com o Roberto, isto é o óbvio; ou então, Roberto terá que aprender o português para se comunicar com a Juliana. Contudo, no amor, o casal precisa aprender o idioma principal do outro.

O que acontece com o amor depois do casamento?

Este é uma pergunta que muitos fazem depois de se casarem. Por que será que o amor vai embora ou esfria depois do casamento ? Não deveria ter o efeito o contrário ? A resposta é que cada pessoa tem sua linguagem principal, esta linguagem a pessoa aprender desde pequeno, na sua família, no contexto em que vive. Ela pode até aprender novos idiomas, mas o seu idioma principal sempre será o mesmo.  Como a linguagem da pessoa amada normalmente é diferente da sua, por mais que você se esforce e o ame, ela não sentirá amada, porque você está amando na sua linguagem e não na dela.

“Psicólogos concluíram que sentir amado é a principal necessidade do ser humano” (Gary Chpman – pág. 19)

Dr. Ross Campbell usa uma ilustração interessante para falar do amor e da necessidade humana de sentir amado.  Dentro de cada pessoa, existe um “tanque emocional” esperando para ser cheio de amor. Quando este tanque está completo, a pessoa sente-se amada e se desenvolve, porém, quando o tanque está vazio, ela sente-se rejeitada, carente, sozinha e enfrenta diversos problemas emocionais, afetivos, entre outros.

Gary Chapman utiliza-se desta ilustração para desenvolver o assunto: relacionamento amoroso. Quando a pessoa é amada no seu idioma, na sua linguagem do amor, este “tanque emocional” vai se enchendo, até transbordar. Contudo, quando ela não é amada na sua linaguem, este tanque vai esvaziando.

“No âmago da existência do ser humana encontra-se o desejo de intimidade e de ser amado. O casamento foi idealizado para suprir essas necessidades.” ( Gary Chapman, pág. 21)

A Paixão

Antes de entrarmos nas cinco linguagens do amor, é importante discutirmos um pouco sobre “A paixão”. Todos nós nos apaixonamos um dia. É um sentimento de euforia. Normalmente as pessoas perdem até a concentração e o prazer de fazer outras coisas (como estudar, trabalhar, igreja, família), pois o seu foco agora é a sua paixão (a pessoa “amada”).

A psicóloga Dorothy Tennov que desenvolveu pesquisas nesta área, concorda com outros especialistas, apontando que a paixão normalmente tem a duração de 2 anos.  Nesta fase de paixão e de muito euforia, não conseguimos enxergar o mundo real, pensamos que tudo será perfeito. Mesmo que parentes e amigos procuram nos alertar por um futuro perigo na relação, nós não damos ouvido. Acreditamos que este sentimento durará para sempre.

Queremos aceitar ou não, a paixão vai embora. A paixão pode ser trabalhada e assim, surgir o amor. Mas paixão não é o amor verdadeiro. 1. Paixão não é um ato da vontade, ela é inconsciente. Esta experiência surge do nada em nossas vida. 2. Paixão não implica em nossa participação. Quando estamos apaixonados, não existe muita disciplina e esforço. Fazemos as coisas sem medir, sem pensar, sem raciocionar. 3. “A pessoa apaixonada não está genuinamente interessada em incentivar o crescimento pessoal daquele por quem nutre sua paixão”. (Gary Chapman – pág. 33).

Dr. Peck diz que paixão ” é um componente instintivo e geneticamente determinado do comportamento de acasalamento. Em outras palavras, um colapso temporário das reservas do ego que constituem o apaixonar-se; é uma reaçáo estereotipada do ser humano a uma configuração de tendências sexuais internas e estimuções sexuais externas, as quais designam-se ao crescimento da probabilidade da união e elo sexual, tendo em vista a perpetuação da espécie”.

Concordemos ou não com esta definição, é fato que a paixão é temporária. Isto não significa que não podemos desenvolver e viver o amor verdadeiro.  O amor une a razão com a emoção.  O amor requer decisão, escolha, disciplina, esforço.

A Primeira Linguagem do Amor: Palavras de Afirmação

As pessoas que tem a linguagem do amor: Palavras de afirmação, são aquelas que sentem-se amadas quando ouvem “palavras” de amor, respeito, encorajamento, elogios, declarações de amor.  Para esta pessoa é importante que a outra expressa verbalmente o seu amor, seus sentimentos.

Usando este idioma, a pessoa normalmente expressa “Eu te amo” – “Você é linda” – “Você está bem vestida” – “Parabéns pelo trabalho”. Isto não significa que vamos ser falsos ou manipuladores; expressando verbalmente falsos sentimentos só para agradar a outra pessoa. Não é nada disto.

Quando amamos a outra pessoa neste idioma “Palavras de Afirmação”, nós usamos de sinceridade, transparência, objetividade, para expressar com Palavras o que sentimos em relação a outra pessoa. É claro que todo ser humano gosta de receber elogios, declarações de amor, ser reconhecido por um bom trabalho. Mas a pessoa que tem este idioma “Palavras de Afirmação” como sua principal linguagem, ela sente-se mais amada que outras pessoas quando ouve “Palavras de Afirmação”. Para estas pessoas, este é um fator primordial para que o seu “tanque de amor” esteja cheio.

É por isto que, depois do casamento, em muitos casos, o casal diz que o amor foi embora. Isto acontece porque, antes do casamento, quando namoravam, eles viviam expressando seus sentimentos verbalmente: declarações de amor, cartões com palavras bonitas. E depois do casamento, com o passar do tempo, a paixão indo embora, o casal esquece que o amor é um caminho e que é preciso disciplina, esforço.

Quando eu entendo que a linguagem principal da minha esposa ou do meu esposo (ou namorado(a)) é “Palavras de Afirmação”, então, eu me esforço para que o “tanque do amor” esteja sempre cheio. Diariamente, de forma criatividade, sincera, verdadeiro, eu expresso verbalmente palavras de carinho, amor, apreço.

Para estas pessoas, que tem o idioma “Palavras de Afirmação”, o incentivo também é importantíssimo. Palavras que encorajam, palavras que inspiram, que incentivam, fazem grande diferença e ajuda a encher o tanque.

Um detalhe importante é que, para estas pessoas, as palavras tem um efeito muito maior. O efeito contrário também é verdadeiro. Se a pessoa amada usa de palavras ofensivas, destrutivas, o tanque esvazia rapidamente. “Você nunca me ajuda em nada” – “Você sempre comete este erro” – “Você é preguiçosa, lerda, burra”.

A segunda linguagem do amor: qualidade de tempo

A pessoa que tem o idioma principal “Qualdiade de Tempo” gosta de passar um tempo junto com a pessoa amada, com atenção total e exclusiva. É claro que todo relacionamento amoros é importante passar tempo junto, curtindo, com atenção total. Massssssss para estas pessoas com este idioma, este tempo tem um valor maior que pessoas com outros idiomas do amor.

A Qualidade de Tempo significa realizar atividades juntos, passar tempo junto conversando, curtindo um ao outro de forma exclusiva. Qualidade de Tempo não é realizar atividades com outras pessoas, com outros casais. É passar tempo junto.

No idioma “Qualidade do Tempo”, umas das características é a ATENÇÃO dada para a outra pessoa. Nesta situação, é importantíssimo aprender a OUVIR o outro. Passar tempo junto com o outro, o foco está na outra pessoa e não simplesmente na atividade.

Na Qualidade de Tempo é importante EXPRESSAR seus sentimentos. Quando a outra pessoa lhe perguntar o qeu acha, pensa ou sente sobre uma situação, você deve expressar seus pensamentos e sentimentos também.

É interessante reservar um tempo do dia para conversar sobre situações que aconteceram na vida do casal. Ambos compartilham experiências do dia a dia, expressando seus sentimentos, pensamentos, medos, receios. Com isto, o casal vai construindo intimidade e uma conversa de Qualidade de Tempo.

Qualidade de Tempo significa também realizar atividades que gostam. É claro que, cada um participará de atividades que o outro gosta e vice-versa.

A Terceiro Linguagem do Amor: Receber Presentes

“Presentes são símbolos visuais do amor, sejam eles comprados, feitos por você, ou simplesmente sua presença disponível para seu cônjuge.” (Gary Chapman pág. 196)

Em todas as culturas, os presentes é uma forma de expressar Amor, Consideração, Respeito, Honra para uma pessoa.  Quando recebemos um presente, podemos segurá-lo e dizer  “Ele pensou em mim ” ou “Ela se lembrou de mim”.

Quando vamos comprar ou fazer um presente para alguém, nós pensamos no que este presente irá simbolizar.  E isto não importa se foi caro ou barato.  A pessoa que tem o idioma principal “Receber Presentes” sente-se amada quando recebe presentes. Contudo, isto não significa que esta pessoa quer receber somente presentes caros. A questão aqui não é o valor, mas o simbolo, a intenção, motivação, a critividade. É claro que se um milionário dar presentes de apenas 1 real para sua esposa, ela vai perceber que há uma discrepância enorme.

“Se a primeira linguagem do amor de seu cônjuge for “Receber Presentes”, você pode ser tornar expert nessa área. De fato, essa é uma das mais simples linguagens para se aprender.” (Gary Chapman pág. 77).

Para amar a pessoa que tem a linguagem de amor “Receber Presentes” é interessante fazer uma lista de todos os presentes que na sua concepção, a pessoa amada gostaria de receber.  Não é necessário esperar momentos especiais (aniversário, dias do namorado). Todo tempo é tempo de presentear.

Existe também o presente da Presença do Amado. Tem momentos na vida da pessoa amada, que é imprescindível a presença do cônjuge. Seja no momento de luto, no momento do parto, no momento de conquistas, vitórias; nos momentos de frustrações.

A Quarta Linguagem do Amor: Formas de Servir

A pessoa que tem o idioma principal “Formas de Servir” sente-se amada quando o outro faz algo para ela. É quando a outra pessoa procura agradar realizando coisas que ela aprecia. Dentro desta linguagens, existem diversas formas de expressar o amor: “preparando uma boa refeição, ajudando a cuidar das crianças, pôr a mesa bem arrumada, lavar a louça, passar aspirador, limpar o pente, tirar os cabelos da pia, levar o lixo para fora” (Gary Chapman – pág. 89-90).

A pessoa com a linguagem do amor “Formas de servir” sente-se amada quando o outro a serve, ajuda, faz algo para ela. É preciso identificar coisas que ela gosta que a pessoa amada faz, que lhe agrada, que ela sente-se amada. Esta linguagem está ligada normalmente ao “serviço”, coisas do dia-a-dia que devem ser feitas pelo casal. Como por exemplo:dividir as tarefas domésticas.

“Devido às mudanças sociológicas dos últimos trinta anos, não há mais um estereótipo do papel do esposo e nem da esposa, na sociedade moderna” (Gary Chapman – pág. 101).

Muitas pessoas ainda tem o estereótipo antigo do papel da esposa e do esposo. A visão antiga é que a mulher é responsável por todas as tarefas domésticas e que o homem é responsável por trazer alimento e sustento para a casa. Nesta visão antiga, a mulher não trabalha e fica responsável pela casa e pela educação dos filhos.

Entrentato, as coisas mudaram. Hoje, é preciso rever os papéis. Muitos casais enfrentam problemas no casamento por causa disto. Eles não conseguem dividir as tarefas e acaba sobrecarregando o outro. Hoje, as mulheres estudam, trabalham, são independentes. Diante desta nova realidade, o homem precisa aprender a lidar com isto, e a mulher também. Ambos precisam entram num acordo com as tarefas domésticas, responsabilidades do casal.

Pode parecer bobagem, mas estas tarefas simples afetam drasticamente o casamento. Muitas mulheres trabalham, cuidam da casa e dos filhos, ficam sobrecarregadas. E muitos homens querem apenas chegar em casa, comer, assistir futebol e a noite ter relação sexual. E a mulher, está toda cansada, irritada e sem clima nenhuma para relação sexual.

É preciso refletir a situação do casal, se ambos trabalham e como podem dividir as tarefas, para não sobrecarregar ninguém. Tem tarefas domésticas que um não gosta de fazer e o outro gosta, é preciso realmente de um acordo.

Para as pessoas com a linguagem principal “formas de servir” esta atitude de servir o outro é importantíssima, só assim ela sente amada pela outra pessoa.  Existem casos de casais que tem a mesma linguagem do amor (a principal) e mesmo assim, enfrentam problemas, porque falam diáletos diferentes. Por isto, é importante conhecer a outra pessoa e saber como ela sente-se amada, quais são as formas de servir que lhe agrada, e vice-versa.

A Quinta Linguagem do Amor: Toque Físico

“Os bebês que são tomados nos braços, beijados e abraçados desenvolvem uma vida emocional mais saudável do que os que são deixados durante um longo período de tempo sem cntato físico. ” (Gary Chapman – pág. 106).

A pessoa que tem a linguagem do amor “Toque Físico” como idioma principal, se sente amada através do toque físico: andar de mãos dadas, abraçar, beijar, toque no ombro, relações sexuais. Esta linguagem do amor não implica em apenas ter relação sexual. O toque físico, não somente a relação sexual, é importante para a pessoa deste idioma.

O sexo é apenas um dialeto da linguagem “toque físico”.  O toque físico pode comunicar amor ou ódio. Ele comunica e expressa amor pela outra pessoa.  Ele pode ser responsável pelo início ou pelo término de um relacionamento.

O corpo humano tem diversas partes que são sensíveis ao toque, são como pequenos receptores táteis. É preciso conhecer os lugares que a pessoa amada gosta de ser tocada e os lugares e formas que ela não gosta de ser tocada. Afinal, para a pessoa que tem este idioma, o toque físico é o fator mais importante e um instrumento de comunicação do amor. Ele pode expressar amor ou ódio.

“Em cada sociedade há formas adequadas e inadequadas de se tocar as pessoas do sexo oposto. A recente atenção voltada para os assédios sexuais tem evidenciado as formas inapropriadas. No casamento, entretanto, tudo isso é determinado pelo casal, dentro de algumas amplas diretrizes. Abuso físico é, naturalmente, condenado pela soeicdade e existem organizações sociais cujo objetivo é ajudar tanto esposas quanto esposos vítimas dos excessos. Nossos corpos foram feitos para toques, mas não para abusos.” (Gary Chapman – pág. 111)

Existem pessoas que foram criadas num contexto de pouco Toque Físico, expressar de amor através do toque físico, do carinho. E quando estas pessoas se relacionam com outras, principalmente com pessoas que o “toque físico” é o idioma principal, elas enfrentam dificuldades, porque para elas o “toque físico” não é tão importante. Mas, como o amor é uma decisão, é preciso aprender a amar a pessoa no IDIOMA DELA.


Publicado em Livros. 4 Comments »